27 de outubro de 2011

Black bear



Oi amigos!
Gente, vim aqui para contar que hoje, finalmente, eu vi um urso!
Aaah, ele era lindo!
Eu estava voltando para casa, depois de deixar as crianças na escola, era por volta das 9:30, então, tinha um urso na casa do vizinho procurando por lixo, quando eu passei, ele tentou se esconder, ai parei o carro e fiquei olhando. Eu queria descer e dar um abraço, ele era muito fofo!! uaha
Então ele atravessou a rua e entrou no meio das árvores....

Infelizmente não tirei nenhuma foto, porque perdi meu celular e esqueci minha camera em casa =/
Beijos


3 comentários:

  1. DEVOLVA A FELICIDADE DOS MEUS DIAS


    Você partiu e deixou-me na solidão
    Não encontro mais caminhos e nem atalhos
    Apenas precipícios que me levam ao reino das sombras
    Quero sentir seu calor, ver o brilho dos teus olhos,
    Sentir as pulsações do seu coração
    Beijar-te com toda minha paixão.

    As horas não passam, as lágrimas não secam,
    A tristeza sorri ao jogar-me no chão
    Ensurdecendo-me com mentiras a seu respeito
    Amor volte! Livre-me desse pesadelo
    Quero voltar a viver em seus braços,
    Sentir o perfume da sua pele,
    Provar o mel de sua boca...
    Devolva a felicidade dos meus dias.

    *Agamenon Troyan é autor do livro “O ANJO E A TEMPESTADE”

    ResponderExcluir
  2. PÉTALAS DE AÇO
    (um poema triste e real)

    Sob os auspícios de olhares algozes
    Lágrimas e gritos de crianças são arrancados.
    Maltratadas, sem teto...sedentas,
    Humilhadas, sem berço...famintas.

    Filhas de batalhas inúteis sem vencedores
    Herdeiras de um mundo apático de ditadores.
    Infância? um mero substantivo abstrato.

    Encarceradas pelo sofrimento
    Libertadas pela angústia,
    Desesperadas na desilusão.

    Pobres pequenas almas!

    Sem princípio, sem meio e finitas.
    Expulsas de corpos neonatos
    Cuja vida o minuto levou...

    * (Agamenon Troyan)
    MSN: machadocultural (arroba) hot ponto com

    ResponderExcluir
  3. O PRIMEIRO CONTATO
    Certa vez, na ânsia de concluir um trabalho escolar, cercado de publicações dos mais variados autores e temas, e sem saber por onde começar despertei-me com um clique da minha esferográfica.
    Eis que, como um “Deja Vu”, deparei-me com um antigo livro de contos em péssimas condições. O papel amarelado pelo tempo, perfurado por traças, empoeirado e suas páginas mal cheirosas.

    A tinta usada em sua impressão ainda mantinha um bom contraste, o que o tornava legível.

    Então, no volver furtivo e detalhado de cada página, eu descobri algo novo: textos envolventes com assuntos, embora de séculos atrás, tão atuais e familiares que passavam não só a mim, mas a quem quer que os lesse (leiam) uma profunda intimidade com o autor.

    Agora eu já podia empunhar aquela, cujo clique não mais soava irritante, mas frugal.

    Tudo era simples, evidente e claro. Eu não precisava mais daquela pilha de publicações, pois tudo estava ali, em cada cor, som, ou lembrança. Daquela ponta esferográfica, as palavras fluíram com naturalidade e deitavam em cada pauta com a suavidade de uma pétala que pousava sobre a relva.

    Eu compunha com mais idéias, indeterminado, mais livre. Não havia motivo para se preocupar com “Lapsus Linguae”... Sim era minha primeira crônica. Agora eu sabia que poderia escrever sobre qualquer coisa.

    *Cassius Barra Mansa é cronista machadense

    Lapus Linguae = erros de linguagem
    ATRAÇÃO DOS MOLEKES

    (pagode com malícia mineira)

    Influenciados pelo, Exalta Samba, Revelação, o grupo se apresentou pela primeira vez em 2006 na Praça Antônio Carlos (Machado-MG), durante as comemorações do 7 de setembro.. No mesmo mês, eles abriram o show do Face Racial no salão da Dismabe, evento organizado pelo DJ Brown. O próximo passo será a gravação do primeiro CD com 12 músicas, entre elas (É hora de curti) Contatos: João ou Diogo (35) 3295-4031 (Machado-MG).

    Blog: http://atracaodosmolekes.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Fiquem a vontade ;))